Pesquisar Cursos
Cursos cadastrados até agora: 460

Técnico em Radialista - Apres. de Programas de TV

Segundo pesquisas recentes, consideramos que no Brasil, o rádio e a televisão são os mais importantes meios de comunicação, responsáveis pela difusão de entretenimento e informação para grande parte da população. Esses veículos de comunicação de massa atuam como instrumentos de disseminação de notícias, informações, prestação de serviços, entretenimento, cultura, educação e publicidade. Vive-se, hoje, uma verdadeira explosão de canais de distribuição da comunicação: TVs públicas, TVs legislativas, TV digital, canais comunitários e educativos, programadoras e operadoras de TV por assinatura, webtvs, produtoras de conteúdo audiovisual, webrádios, rádio digital, circuitos internos de rádio, rádio empresa e mídia out of home, apenas para citar algumas ramificações dessa nova configuração da indústria do audiovisual, que impulsionam o crescimento do mercado de produções.

A digitalização dos processos de captação e produção de programas para Rádio e TV e a implantação, desde dezembro de 2007, do Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre – SBTVD instituído pelo Decreto nº 4901/2003 e implantado pelo Decreto 5820/2006, vem impulsionando um novo nicho de mercado. Há previsão que, em 2016 o sistema analógico de transmissão e recepção de sinais de TV aberta será desativado no Brasil, provocando mudanças, já que 100% das emissoras e retransmissoras brasileiras deverão migrar e transmitir pelo sistema de TV digital, e, para ter acesso a TV aberta, a população deverá trocar o seu aparelho de TV ou adquirir um conversor.

Neste novo contexto proporcionado pela TV digital, a multiprogramação ganha destaque por permitir que cada emissora transmita, simultaneamente, até quatro programações, criando a necessidade de desenvolvimento de mais conteúdo e a possibilidade de interatividade do telespectador, que vai exigir novas competências do profissional de Rádio e TV. Também, as possibilidades apresentadas pelo rádio digital, cuja discussão sobre qual modelo o Brasil deverá adotar nos próximos anos encontra-se em fase final, criam um ambiente com novas oportunidades profissionais. 

Isso tem provocado novas demandas do setor produtivo audiovisual, decorrentes das conquistas tecnológicas, do crescimento do recente mercado de formatos de programas, da expansão da produção do cinema nacional e do aumento do número de produtoras de conteúdo de áudio e vídeo, gerando transformações no segmento da radiodifusão.

.: Instituições de ensino que oferecem esse curso no Brasil
logo voltar